Portuguese English German Italian Spanish

Lorena Müller

A Prefeitura de Domingos Martins começou neste mês de novembro um importante processo para a ampliação de mercado da agroindústria do município. Trata-se da adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal, o Sisb-Poa, que permitirá a comercialização de produtos de origem animal, como queijos e embutidos, entre outros, em todo o território nacional. O município é o primeiro do Estado a requerer a certificação.

No último dia 7, auditores do Ministério da Agricultura no Espírito Santo estiveram em Campinho para a primeira visita técnica e foram recebidos pelo prefeito Luiz Carlos Prezoti Rocha, técnicos do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), da Secretaria de Desenvolvimento Rural e produtores locais de mel, pescados e aves.

comissao sisb comissao sisb1
Auditores foram recebidos na sede da Prefeitura

“Neste primeiro momento será avaliada a estrutura que o município apresenta para a adesão, avaliar o serviço prestado pelo SIM junto às agroindústrias. É uma ação orientativa, para propor alterações no plano de trabalho, se houverem, e acelerar possíveis pendências burocráticas”, explicaram os auditores Alba Said e Edson Lira.

Os técnicos do Governo Federal também visitaram agroindústrias em Ponto Alto, como parte das atividades da primeira etapa do processo. “Uma segunda visita será feita por equipes de Brasília, em data ainda a ser definida, na segunda fase do processo para a adesão ao Sisb-Poa”, complementou Alba Said.

Para o chefe do SIM, Adnilses Machado Filho, a adesão ao sistema nacional “traz oportunidade de mercado, potencializa a produção local e atesta a qualidade do serviço público prestado aos produtores de produtos de origem animal”. Atualmente, quatro agroindústrias estão aptas à certificação federal e a previsão é a de que outras já iniciam o processo de adequação.

Produtos martinenses já circulam em todo o Estado

Em outubro do ano passado, o município obteve a aprovação e o reconhecimento da equivalência do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) ao Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar de Pequeno Porte, o SUSAF-ES. Na prática, a comercialização de alimentos de origem animal (queijo, mel, peixe, ovos, carne e embutidos, entre outros) inicialmente restrita ao município, foi ampliada para todo o Espírito Santo.

Uma delas é da família Beltrame, de Aracê. Produtora de queijo minas frescal, foi a primeira a atender normas e requisitos estabelecidos pelo SUSAF-ES.  “Já chegamos a produzir 150 peças de queijo por semana, mas como não tínhamos o selo não podíamos vender em outros municípios. Agora poderemos expandir nossas vendas, estamos animados e já retomamos a produção”, conta Cirlésia. 

A atividade agroindustrial de produtos de origem animal, é responsável, hoje, por cerca de 10% do PIB do Município de Domingos Martins, tendo amplo horizonte a ser explorado, aumentando sua participação na geração de riquezas e de bens-comuns e alavancando a economia local e regional.

Lorena Müller

A Secretaria de Desenvolvimento Rural premiou na noite de ontem (10) os vencedores do 1º Concurso Municipal de Qualidade do Café Arábica de Domingos Martins. Dezenas de produtores de todo o município participaram do evento, em Ponto Alto.

O objetivo do concurso foi identificar e promover os agricultores que adotaram técnicas de manejo das lavouras, colheita e pós-colheita na busca constante da melhoria da qualidade do fruto. Cada produtor pôde participar inscrevendo uma única amostra de um lote mínimo de sete sacas de café arábica beneficiado de 60,5 kg. Foram aceitas amostras de café do tipo Cereja Descascado da safra 2016.  

Premiacao concurso cafe 2016 4 Small Premiacao concurso cafe 2016 12 Small

VEJA GALERIA COMPLETA DE FOTOS NO FINAL DESTA MATÉRIA

As amostras foram coletadas nos dias 17 e 18 de outubro e seguiram para avaliação sensorial e julgamento dos degustadores da empresa Prove Café, de Venda Nova do Imigrante. Ao todo, 28 produtores se inscreveram no concurso de qualidade.

Em primeiro lugar ficou o café produzido em Alto Paraju. O produtor Sebastião Fortes Coelho alcançou 84,38 pontos na avaliação dos especialistas. O segundo melhor café é de Rio Ponte, produzido pelo agricultor Erlineo Herbst, com pontuação de 83,50, e em terceiro ficou o produtor Ademiro Plaster, de Rio Ponte, com pontuação de 82,25.

Premiacao concurso cafe 2016 27 Small

Vencedores ladeados pela comissão organizadora 
do concurso

O primeiro colocado ganhou R$ 1 mil e 100 sacos de Calcário Dolomítico; o segundo 15 sacos de Adubo Orgânico e 50 sacos de Calcário Dolomítico, e o terceiro, 150 sacos de Calcário Dolomítico. “Domingos Martins tem ótimos cafés, frutos de qualidade. Mesmo com o clima seco e todas as dificuldades enfrentadas neste ciclo, manteve-se a qualidade, resultado da condução correta da produção, desde o plantio até a xícara”, destacou o avaliador Rondinelio Sartori.

O prefeito Luiz Carlos Prezoti Rocha, o Carlinhos Borboleta, afirmou que a iniciativa contribui para o fortalecimento do setor. “Mais de 80% de nossa população vive em área rural, vive da atividade agrícola, daí podemos ver o tamanho de nosso potencial e as possibilidades que podemos ainda explorar. O mercado do café, especialmente, está receptivo para os produtos especiais e de qualidade garantida, o produtor que se enquadrar neste mercado só tem a ganhar”.

Premiacao concurso cafe 2016 21 Small Premiacao concurso cafe 2016 17 Small
Premiacao concurso cafe 2016 1 Small Premiacao concurso cafe 2016 2 Small

Segundo dados do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Domingos Martins possui mais de 50 mil hectares de café arábica em produção, o que representa cerca de 35% de todo o café cultivado na região Centro-Serrana do Espírito Santo.

Para o secretário de Desenvolvimento Rural, Darci Schaefer, a ampliação da assistência técnica ao produtores, dos serviços do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e a aquisição de máquinas e equipamentos foram fundamentais para a evolução da qualidade da produção martinense.

“A qualidade do nosso café, de cada produto é a consequencia do trabalho que fazemos antes da colheita, todo o trabalho de análise de solo, todo o cuidado, toda a assistência dos técnicos agrícolas. Hoje não vamos premiar o melhor café, mas sim parabenizar o produtor que teve mais cuidado e carinho com o seu produto. Produzimos alimento, e o mercado exige cada vez mais produto de qualidade”.

Outras autoridades e lideranças comunitárias também estiveram na cerimônia de premiação do 1º Concurso Municipal de Qualidade do Café Arábica de Domingos Martins, entre eles o deputado federal Evair de Melo, o gerente de Agroecologia da Secretaria de Estado da Agricultura, Marcos Magalhães e o presidente da Cooperativa de Empreendedores Rurais de Domingos Martins (Coopram), Darli Schaefer.

O 1º Concurso Municipal de Qualidade do Café Arábica de Domingos Martins foi realizado pela Prefeitura Municipal e teve o apoio da Gerência Municipal de Esportes, do Sindicato Rural de Domingos Martins e Marechal Floriano, Heringer, Mocal, Coopram, Café Dodô, Prove Café e empresários do setor agrícola.  

CLIQUE AQUI E VEJA A GALERIA COMPLETA DE FOTOS

Lorena Müller

Quinze produtores rurais de Domingos Martins concluíram no ultimo dia 16 o Curso Café Sustentável sobre noções de informática e sustentabilidade agrícola. A capacitação, ministrada no Centro de Referência em Assistência Social (Cras), em Ponto Alto, foi uma parceria da Secretaria de Desenvolvimento Rural e o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

Curso cafe sustentavel 1 Curso cafe sustentavel 2 Curso cafe sustentavel 3

Ao todo foram cinco meses de estudos, com aulas semanais teóricas e práticas. Entre os conteúdos abordados, estavam vantagens de se informatizar e adequar a propriedade para a sustentabilidade, focando áreas temáticas como: gestão da propriedade, gestão ambiental, manejo do solo e recursos hídricos, melhoria da qualidade de café através de orientações corretas de colheita e pós-colheita e diversificação agrícola, e ainda utilização de programas de computador e internet.

“O tema sustentabilidade é uma demanda atual em todo o mundo e em todas as culturas e mostramos aos produtores que esta prática também é possível para pequenos produtores, é inclusiva e uma tendência. Produtor que se mantêm informado se prepara para o futuro e colhe os frutos disso”, destacou o coordenador do curso, João Miranda. 

Juliano Rangel 

O trabalho desenvolvido pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) de Domingos Martins, vem ganhando reconhecimento e se tornando referência para os demais municípios do Estado.

O SIM realiza a inspeção e acompanhamento das pequenas indústrias familiares que produzem alimentos de origem animal, como carne, leite, mel, ovos e peixes. O trabalho é realizado pela Prefeitura Municipal de Domingos Martins, por intermédio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural.

O órgão foi indicado pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do ES (IDAF), por meio do Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar de Pequeno Porte (SUSAF/ES), como modelo no acompanhamento das agroindústrias familiares de pequeno porte de produtos origem animal.

A unidade já recebeu as visitas dos coordenadores dos serviços de inspeção dos municípios de Santa Leopoldina, Santa Teresa e Alfredo Chaves para troca de experiências. A temática dos encontros é voltada para apresentação da estrutura do local, a forma de trabalho e questões de documentação.

Participante do encontro e coordenadora do SIM de Alfredo Chaves, Damiana Ferrari conta que a troca de ideias é muito importante para o aprimoramento dos conhecimentos. “A realidade é diferente, estamos começando e vendo as parteS documental e estrutural do trabalho”, ressalta.

Juliano Rangel

O período de estiagem que atinge vários municípios do Estado vem causando dificuldades para alguns produtores rurais que buscam alternativas para superar essa situação. Nas localidades de Melgaço e Galo, o reflexo da falta de chuva é visível e já diminuiu a expectativa de qualidade e lucro das produções.

Produtores de banana, alface e tangerina tentam conter as perdas provocadas pela seca. Já passa de um mês sem chuva. Os prejuízos são visíveis e o tempo para plantio e colheita está diminuindo, o que, em alguns casos, encarece mais a produção do que a venda.  

Segundo o produtor de banana, Édio José Saikel, a qualidade do produto já caiu 30% e a estimativa de lucro que era de R$ 30 mil talvez nem chegue a R$ 20 mil. “Já estamos acostumados a períodos de seca no inverno, e este ano fomos surpreendidos, igual a essa no verão é a primeira vez”, relata o produtor.

seca 1 seca 2
Édio (D) recebe orientações da Secretaria de Desenvolvimento Rural

O agricultor Zeferino Zibbel, já contabiliza prejuízo, foi preciso retardar o plantio de alface e algumas mudas apresentam falhas e desigualdade de tamanho. “Realizávamos três entregas por semana, agora fazemos apenas uma e o gasto com energia aumentou”, conta o produtor, que ao contrário de muitos possui reservatório de água.

seca 3

O cultivo de hortaliças é um dos mais prejudicados 
com a falta de chuva

Edivaldo Loose, que trabalha com o plantio de tangerina ponkan, está preocupado com a colheita, prevista para os meses de maio e junho. Ele conta que o retorno esperado era de 2 mil caixas, mas o número deve ser bem inferior. “A situação é desanimadora e a produção já teve uma queda de 50%”, fala o produtor.

seca 4 seca 5
Tangerina: perda de frutos será recorde

Auxílio aos produtores

Para auxiliar os agricultores, a Secretaria de Desenvolvimento Rural, está priorizando e reforçando o atendimento aos produtores com orientações específicas para o período de seca. 

Participantes da equipe, os técnicos agrícolas João Vitor Santana e Laelson Braun, contam que o trabalho neste período de estiagem objetiva orientar os produtores com dicas de manuseamento.  “Auxiliamos os produtores com instruções de manejo e orientamos a evitar o trabalho de capinagem do solo”, ressaltam os técnicos.    

Lorena Müller

Os empreendedores de agroindústrias produtoras de alimentos de origem animal de Domingos Martins devem ficar atentos. É que o Serviço de Inspeção Municipal (S.I.M.) inicia nesta semana os processos de renovação anual de registro.

A atualização de dados das agroindústrias é obrigatória e garante ao produtor rural e ao estabelecimento a continuidade produtiva e comercial. “Os produtores devem estar atentos à data de validade de seu registro e providenciar o requerimento de renovação com pelo menos 45 dias antes de vencimento”, orienta o chefe do S.I.M., Adnilses Machado Filho.

O requerimento deve ser feito no Setor de Protocolo da Prefeitura de Domingos Martins, ou ainda no Posto de Atendimento de Pedra Azul, atendendo aos seguintes pré-requisitos: cumprimento das cláusulas do Termo de Compromisso de Ajuste Sanitário Agroindustrial firmado entre o Produtor e o S.I.M., e apresentação de documentos atualizados que tenham prazo de validade (carteira de saúde dos manipuladores, cartão de vacina do rebanho, entre outros).

Os produtores que ainda não regularizaram suas atividades ou queiram iniciar na atividade, devem requerer visita técnica para inspeção prévia e apresentar os documentos exigidos na Lei nº 2.564/2013 (descritos no site www.domingosmartins.es.gov.br) junto às demais informações necessárias.


Outras informações sobre o S.I.M.
Endereço:
Rua Pedro Gerhardt, 39, em Campinho (ao lado da Igreja Católica)

Juliano Rangel
Monique Ferbek

Domingos Martins é conhecido por ser um dos maiores produtores de banana e cítricos do Espírito Santo. O volume e qualidade desses dois produtos têm destacado o município ao longo dos anos. Mas uma novidade que vem crescendo e tem se tornando fonte de renda para alguns agricultores familiares é a diversificação de culturas para incremento da renda. Com isso, produtores têm investido no cultivo de frutas, verduras e legumes variados.

Maçãs 5O plantio da maçã, prática que ainda não era muito popular na região, vem se estruturando e ganhando força em algumas áreas do interior do município. Uma das propriedades que já alcança números satisfatórios a cada ano está localizada em Tijuco Preto, distrito de Ponto Alto. Responsável pela plantação da fruta no local, Jamil Rodrigues Barbosa, conta que começou a trabalhar com o cultivo em 2011, após deixar a prática de plantio de café. “A maçã foi uma forma que eu encontrei de diversificar a produção na propriedade, além de ser uma alternativa de renda”, conta o produtor rural.  

Jamil fala que, no início, enfrentou algumas dificuldades, por ser um produto que ele pouco conhecia e nunca tinha trabalhado. A plantação também começou em pequena escala e no último ano atingiu a marca de 250 caixas comercializadas. Em 2015, ele planeja ter uma quantidade de 700 pés da fruta na propriedade.

Maçãs 8Na plantação são encontradas maçãs nas variedades Eva, Julieta e Princesa que são vendidas in natura. Ele conta que muitos turistas visitam a plantação em busca das frutas que tem qualidade reconhecida na região. “Quero investir mais e começar a produzir produtos a partir da fruta”, conta Jamil.  

Jamil fala sobre os cuidados que se deve ter com esse tipo de fruta para que o resultado seja um produto de qualidade. “Aqui na propriedade, não utilizo veneno. Faço apenas limpeza e coloco adubo de esterco”, explica o produtor, que além da maçã também cultiva frutas como pêssego e a amora.

Maçãs 2 Maçãs 6

Apoio à produção rural

Maçãs 11A Prefeitura Municipal de Domingos Martins apóia e orienta os produtores rurais que trabalham com cultivo de frutas e alimentos, com o suporte de técnicos agrícolas que visitam as propriedades. O componente da equipe de profissionais, Ater Luiz Hand revela que muitos produtores estão diversificando a produção nas propriedades rurais.

Ele conta que produtor rural aciona o técnico que realiza um planejamento de trabalho na propriedade. “Analisamos o solo, verificamos as mudas e se a fruta é propícia para a região. Também auxiliamos no manejo do controle e pragas e doenças que podem atingir a plantação”, ressalta Ater.    

Ater fala sobre o clima do município que é propício muito para o cultivo de frutas como uva, lixia, pêssego e amora. Ele relata que esse tipo de trabalho é um diferencial para o turismo do município. “A rentabilidade de produção é fantástica e a utilização dos frutos da para criação de produtos e algo que valoriza todo o trabalho”, lembra o técnico. 

Prefeitura Municipal de Domingos Martins

brasaoRua Bernardino Monteiro, 22 - Centro - CEP 29260-000
Expediente Administrativo: 8h às 12h00 - 13h às 17h
Horário Serviços de Saúde: 7h às 11h30 - 12h30 às 16h  

Fone (27) 3268-1239 - 3268-1124
Veja no Mapa

Links Úteis

portariastn contas-publicas
nfe issbancario